OFICINA: MEDIAÇÃO DE LEITURA PARA PÚBLICO INFANTO JUVENIL - SEMINÁRIO DE LEITURA

Para a oficina de "Mediação de Leitura para Público InfantoJuvenil", do 1º Seminário de Disseminação de Leitura Literária do Pólo "Sou de Minas, Uai", contamos com a presença de Sandra Lane, especialista em arte educação da palavra oral à escrita pela PUC/MINAS. Sandra já possui uma longa caminhada na promoção do livro e da leitura, realizando trabalhos como contadora de estórias.

CONFIRA mais detalhes sobre seu campo de atuação acessando o site

Sandra utilizou de vários artifícios para demonstrar a importância da mediação de leitura, fazendo com que os participantes percebessem possibilidades de atuação que vão além da técnica e que utilizam muito mais da percepção do público alvo, das necessidades que vão se mostrando nesse processo que existe entre o leitor e o livro, o leitor e a estória.

Aos poucos, e em clima de bate papo e interação Sandra levou os integrantes da oficina a se perceberem como leitores, focando no eu - leitor, naquela história marcante, naquele livro envolvente, naquele relato oral que fora fixado e repassado sem nem mesmo o contato com sua forma escrita.

Camila Valadares (psicóloga) relata que: "na oficina de mediação de leitura descobri que não é necessário saber ler para incentivar a leitura. Esse achado se deu a partir do momento da apresentação no qual tivemos que numa representação de livreto escrever o título do livro que mais nos marcou, prestar um pequeno agradecimento na parte interna do livreto e, em seguida, apresentá-lo à roda. Nesse momento, uma das participantes relata que o livro que a avó lia para sua mãe e tias era baseado nas ilustrações do livro, uma vez que a matriarca não sabia ler. Mesmo assim, não deixou de incentivar as demais a aprender. Tanto é que, até hoje, é uma tradição na família contar a história daquele livro como a avó contava e não como lá está escrito.O outro momento foi a contação de história na caixa de sombras. Vários grupos se formaram e com todo um aparato disponibilizado pela Sandra nos organizamos para realizar pequenas apresentações com as caixas e os moldes de sombras.Notei que a contação é um incentivo para a leitura de uma forma até então inimaginável."


Muitos dos participantes das oficinas de "Contação de Estórias" e de "Mediação de Leitura Para Público InfantoJuvenil", no momento da inscrição online, acreditavam que iriam aprender o Beabá das ações de contação e mediação. Acreditavam que aprenderiam a técnica de conquistar leitores, e brilhantemente as oficineiras mostraram a cada um que em se tratando de promoção de leitura a técnica não vem em primeiro plano, e que para nos tornarmos bons agentes de leitura, precisamos primeiro aprender muito mais sobre a gente mesmo e sobre aquilo que o outro espera que façamos através de uma fala, de um olhar.

Um comentário:

  1. Este Blog merece os parabéns pelo conteúdo apresentado!
    Sonia

    ResponderExcluir