DESCOBRINDO A LITERATURA DE CORDEL, SEU VALOR LITERÁRIO E CULTURAL

Na última terça feira, dia 15, nós, integrantes do Pólo de Leitura "Sou de Minas, Uai" participamos de uma oficina de literatura de cordel. Essa atividade faz parte do projeto "Vereda da Leitura" que é gerido pela SABIC (Associação de Amigos das Bibliotecas Comunitárias). Além do Pólo estavam presentes representantes de outras bibliotecas de Belo Horizonte, que também estão inseridas no projeto.

A oficina de literatura de cordel foi ministrada por Olegário Alfredo, conhecido também como "Mestre Gaio". Ele é cordelista, membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, e possui uma vastidão de cordéis, livros de poema e até de haicais publicados. Mestre Gaio fala com muita paixão sobre a literatura de cordel e conseguiu nos mostrar o valor cultural e literário do gênero.

"O cordel possui uma aparência simplória, mas é dotado de riqueza"

Assim como todo gênero literário, descobrimos que o cordel possui suas histórias clássicas:

"O Pavão Misterioso"

"O Cavalo Que Defecava Dinheiro"

"João Grilo"

"A Vida de Pedro Cem"



Mestre Gaio falou também sobre a xilogravura, que é uma técnica, um processo de gravação em relevo que utiliza a madeira como matriz e possibilita a reprodução da imagem gravada sobre papel ou outro suporte adequado. A xilogravura é uma arte milenar oriunda da China. Tivemos a oportunidade de experimentar o processo, mas ao invés da madeira utilizamos o isopor., que inclusive se torna uma ótima alternativa para trabalhar a xilogravura na escola. Olegário fez algumas demonstrações e apresentou alguns modelos já prontos utilizando a técnica de gravura..

matriz de xilogravura

 Fomos apresentados à literatura de cordel de uma forma diferenciada, portanto essa oficina nos deu a oportunidade de passar a admira-la por sua beleza, como também por sua história, suas curiosidades, e por ser uma belíssima manifestação cultural.

0 comentários:

Postar um comentário