CAÇADAS "AO" PEDRINHO

O Conselho Nacional de Educação (CNE), sugeriu, por meio de um parecer a exclusão da obra de Monteiro Lobato, "Caçadas de Pedrinho" (1933) das escolas públicas. Essa questão vem levantando um debate ferrenho entre os envolvidos com produção de leitura, educadores, inclusive leitores e curiosos em geral. Para alguns, essa medida representa um retrocesso em se tratando de liberdade de expressão, e não se configura em medida eficaz contra o preconceito racial. Por toda a internet estão surgindo textos sobre o assunto, análises da representação do negro na obra de Monteiro Lobato e trechos do livro em que acreditam haver preconceito racial. Independentemente dos discursos, podemos entender toda essa discussão como um processo interessante e necessário se analisados por dois lados: a obra de Monteiro Lobato apresenta sim conteúdo não favorável ao discurso de igualdade dos dias de hoje, em contrapartida abre-se aí a oportunidade para que os professores e responsáveis façam uma contextualização histórica com as crianças e jovens sobre a  imagem do negro de ontem e a que vem se construindo hoje, ilustrando essa realidade através não só deste livro, mas de muitos clássicos brasileiros que trazem em suas histórias posicionamentos preconceituosos. que são retrato de uma época e fazem parte da história de nosso páis. Um outro ponto de grande valia é perceber um assunto relacionado ao livro e a leitura se transformando em preocupação nacional e fomentando discussões sociais e debates. Atitudes assim só vem demonstrar um amadurecimento da população perante a realidade social, a educação e a igualdade de direitos.


0 comentários:

Postar um comentário